Risco de racionamento?

O Brasil está entre as dez maiores economias do mundo, com um mercado de energia de grande porte e a tendência de elevadas taxas de crescimento. O aumento do consumo de apenas um ano, significa uma produção adicional de energia elétrica do tamanho de todo o mercado de um país como o Chile. Com isso, são necessários investimentos em infra-estrutura e novas fontes energéticas a cada ano para aumentar a capacidade de produção e transmissão de energia elétrica.

Temos acompanhado algumas tentativas do Governo no sentido de incrementar as fontes energéticas do País, visando suportar a demanda e diminuir os riscos de escassez de energia. Contudo, diante do cenário político do Brasil, as perspectivas para qualquer processo que vise diversificar a produção de energia não são muito positivas.

Esperamos que em um futuro breve, novas fontes de geração de energia sejam implementadas à estrutura atual. Desta forma poderemos vislubrar um futuro rico em energia e sem riscos de racionamentos.

Produção Hidrelétrica – expansão e capacidade

A geração de energia predominantemente hidrelétrica no Brasil decorreu de vários fatores estratégicos. Dentre eles, os principais foram a existência de um grande potencial hídrico no País e dificuldade que antes existia em aproveitar combustíveis fósseis em quantidade e qualidade suficiente para atender às necessidades de energia elétrica do mercado brasileiro. Nos últimos 35 anos, vários dos principais recursos hídricos foram todos aproveitados e hoje não existem mais recursos de médio e grande porte próximos aos principais centros urbanos de consumo e em quantidade compatível com o crescimento da demanda.

Como consequência natural, as alternativas para aumento da produção são: a instalação de usinas termelétricas movidas a combustível fóssil (principalmente o gás natural), a construção de usinas hidrelétricas a distâncias cada vez maiores dos centros de consumo (com elevados custos ambientais e custos de transmissão), a co-geração (ambas já em desenvolvimento), o uso de pequenas centrais hidrelétricas e fontes alternativas e ainda a construção de usinas nucleares.

Qualquer que seja a opção adotada para aumentar a produção de energia elétrica e garantir o atendimento às necessidades da economia do País é necessário ter consciência que o custo marginal da energia elétrica tende a ser crescente, ou seja, que a produção de uma nova unidade de energia custa mais do que custou produzir a última unidade de energia consumida. É nesse momento que os agentes de mercado deverão encontrar maneiras para gerenciar a energia das diversas formas de produção e utilizar os novos mecanismos contratuais / financeiros para garantir preços competitivos.

Produção Hidrelétrica

Grande parte da nossa malha energética é mantida pela produção das hidrelétricas brasileira. O Brasil está entre as três principais potências mundiais em capacidade de geração hidrelétrica.

CHINA – 413 TWh
CANADÁ – 352 TWh
BRASIL – 349 TWh

A usina hidrelétrica de Itaipú, na divisa do Paraguai com o Brasil, foi por 20 anos a maior geradora de energia hidrelétrica do mundo. A partir de 2012, a posição será ocupada pela Usina Três Gargantas(tradução para o português) na China, quando a útlima de suas turbinas entrar em operação. Veja uma comparação entre as duas gigantes:

[photopress:blog_usinas_hidro_1.gif,full,alignleft]

Chuvas afastam risco de racionamento no país

O ano de 2008 começou com muita chuva e os níveis dos reservatórios das hidrelétricas estão se normalizando em quase todo o Brasil. Em dezembro de 2007, o reservatório de Sobradinho, na Bahia, funcionava com 12% da capacidade. Hoje o volume dobrou e as hidrelétricas da região trabalham com mais folga.

O nível nas usinas do sistema Furnas, no Sul de Minas Gerais, também melhorou. Para a empresa que controla e mede a produção e a distribuição da energia no país, não há mais risco de apagão.

Multa por inadimplência em conta de luz pode subir para 5%

LORENNA RODRIGUES
da Folha Online, em Brasília

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) colocou em consulta pública uma proposta que mudará regras para consumidores de energia elétrica. A idéia é combater o furto e fraudes de energia e também a inadimplência no pagamento da conta de luz.

A proposta prevê aumentar a multa por atraso no pagamento dos atuais 2% para 5% do valor da conta. Além disso, o consumidor poderá negociar com as concessionárias o parcelamento do débito, que virá na própria fatura.

Veja a notícia no link abaixo:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u368308.shtml

S.I.G. – sistema de informação e gerenciamento

Informação de qualidade e com acesso rápido de qualquer computador. Este é o objetivo do S.I.G., um sistema exclusivo desenvolvido pela equipe técnica da Engelétrica após vários testes e avaliações. A idéia original era controlar as informações administrativas da empresa, mas com o rápido crescimento da internet e a mudança nos conceitos de gestão, ficou evidente que um sistema de gerenciamento de informações seria de grande valia. Conforme o sistema era desenvolvido e utilizado, os conceitos foram se aprimorando e hoje temos uma ferramenta completa para gestão de informações. Entre os benefícios que esta ferramenta propiciou a todos os envolvidos, destaca-se o estreitamento e a agilidade no relacionamento com o cliente.

Ano novo, novos desafios

Mais um ano que se iniciou e com ele novos desafios surgem para todos nós. A equipe da Engelétrica está motivada com as metas para 2008. Em 2007 tivemos muito sucesso em nossas atividades e relações comerciais e pretendemos dar sequência nessa filosofia de qualidade. Agradeçemos a todos que utilizam este espaço para trocar informações, sendo que uma de nossas metas principais é manter sempre o blog com mais informações e novidades. Feliz Ano Novo!

Novos Desafios

Temos passado por adaptações e mudanças nos últimos dias, visando melhorar cada vez mais a estrutura da empresa e a qualidade dos serviços. Acreditamos que em toda organização são necessárias metas que envolvam desafios maiores, sempre em busca do nível de exigência que o mercado apresenta. A competitividade do setor elétrico impulsiona a Engelétrica a buscar novos rumos e novas soluções, cada vez mais eficazes e completas para todos os clientes e todos os que precisam de serviços e orientações dento do setor elétrico.